Sinto…

Em tua pele de canela
Cravo meus dentes
Em tua boca de damasco
Deposito meus beijos quentes
Em meus seios maduros
Sinto tua boca sugando-os
Como quem suga a vida
Em meus lábios grandes
A tua lí­ngua brinca
Enquanto com os meus
Teu falo acaricio…

Patrícia Gomes
Imagem: Anca C.

Anúncios
Published in: on junho 10, 2008 at 11:26 pm  Comments (2)  
Tags: , , , ,

Emoções In Natura

Minha linda amiga Patrícia Gomes está lançando seu primeiro E-Book intitulado:
Emoções In Natura. É um E-Book com 60 poesias lindíssimas.
Mais informações: patuska@gmail.com
 Eu já pedi o meu e você?
Published in: on fevereiro 27, 2008 at 5:05 pm  Comments (2)  
Tags: , , ,

Tecelã

Horas a fio passo
Em tecidos nem tão maleáveis
A cardar e fiar…
Calejo os dedos que torcem e
Tentam agulhar os sentimentos claros
Calmos em que tento me [des]emaranhar
Mas a roca roda num desatino hipnótico
E entre um grito surdo e um olhar súplice
Muitas vezes sinto o sorriso
Nascer úmido e ir, aos poucos
Se estampando forte
Numa figura escarlate.
Finalmente consigo parir o fio e
Desde o primeiro instante
Com afinco busco alinhavá-lo
E vou entretecendo palavras que
Já foram usadas, como num patchwork antigo
Remonto, nesse meu coser sem fim,
Novos [?] mosaicos de mim…

Poesia da minha linda Patrícia Gomes

Imagem: Imagem: Fernando Figueredo

Published in: on fevereiro 14, 2008 at 3:16 am  Deixe um comentário  

O Bico e a Pena

O bico e a pena contam-lhe os dedos
E o sorriso flui nos vidros cirandados.
Delicada gramatura e vida na ponta dos lábios.
Segredos aguados no escuro e no claro
— o espírito e ferrolho nos traços.
Outrora, pincéis calados batizam tintas
nas mãos ressecadas e folhagens são
tenras cúmplices de sinceras telas
sussurrando às sombras das paredes internas.
O arame forma-lhe à história
e o gesso a própria forma olvida.
O cinza cúmplice bebe seu nome na curva e a boca.
Na borra, a dança quase pronta.
Na terra, o vôo prometido.
E a pincelada vinga
a curva da rosa e a fenda da tulipa.
O carvão jamais confessa o gozo
e o pastel traça plena a fêmea:
Olha-me de novo.

Ana Magalhães

Published in: on janeiro 24, 2008 at 5:04 pm  Deixe um comentário  

Como eu quero…


Quero ser
Tua menina
Sentir-te me
Fazer mulher
Beijando meu ventre
Arrepiando-me a pele
Morna de desejos
Em língua que trafega
Feito brasa
Os gemidos invadindo e
Dissolvendo o entendimento
E o gozo mergulhando-nos
Em mistérios.

Poema da minha amiga ” farta” Patrícia Gomes

Published in: on dezembro 17, 2007 at 2:22 am  Comments (1)  

Sal dos dias

Guardo no olho triste
Uma lágrima cheia de sal
Que arde sua beleza cristalina
No descompassado coração de menina

Tentei abraçar o sol no seu pôr
Para, quem sabe, no seu sorriso,
Conseguir findar as mágoas em
Teu abraço quente e alentador

Das tuas palavras guardei
A madrugada fria e acolhedora
E tua voz ecoa de manso aglutinando
O que em meus lábios aflora


Quando a noite chegou madura
Na curta margem do olho
Senti inundar a vias escuras
E, assim, a terra bebeu o pranto,

Que era meu, um choro convulso,
Confuso e tão quase ateu…

Texto: Patrícia Gomes


Imagem:
Desconheço a autoria, infelizmente!

” Roubei ” do blog do Simbi rss


Published in: on dezembro 17, 2007 at 2:17 am  Deixe um comentário  

Ânsia

pé pesado
no acelerador
pisa
ânsia
relógio
hora
olho, olho
chego
avisto ao longe
você
olhos, boca
eu
desejo
não descolar
mais

Toda vez que leio essa menina, me sinto viva.

Published in: on novembro 21, 2007 at 12:49 pm  Comments (2)  

MENINAS TRAVESSAS / para Micaella, Capitu, e todas as meninas da comunidade


Veja que poema delicioso ganhei nesta noite quente.

Meninas travessas,

Nobres condessas,

“Putescas”, devassas;

No momento abutre

Dos desejos sórdidos

Ruindo carcaças;

Dos corpos entregues,

Felícias ardentes;

Ferinos demais.

Meninas alegres,

De copos e camas;

Meninas com febre,

Meninas em chamas.

Meninas que assumem,

Se amam, se unem;

E o mundo se dane!

Meninas que riem,

Meninas que choram,

Meninas que falam,

Meninas que calam;

Meninas travessas,

Travessas meninas!

Se esfregam, se pegam,

Se colam.

São essas meninas

Que temos aqui;

São todas meninas

Que falam aqui;

E falam o que pensam,

E são o que falam,

E assim como eu

Se revelam.

Meninas amigas…

Minhas amigas meninas…

Sou como vocês,

Sigo a minha verdade;

Sou travessa,

Devassa,

Mostro a realidade;

E não há nada que mude

Essa vida,

Um pouco mais vivida… rs…

Mas que tem,

Com a vida

Das minha meninas,

Total paridade.

Vida longa

A essa comunidade

Muito bem resolvida!


Cacau Rodrigues

Published in: on outubro 11, 2007 at 3:06 am  Comments (2)  

Bilhete

Se tu me amas,
ama-me baixinho.
Não o grites de cima dos telhados,
deixa em paz os passarinhos.
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho,
amada,
que a vida é breve,
e o amor
mais breve ainda.

Mario Quintana

Published in: on outubro 10, 2007 at 2:28 am  Comments (1)  

Sem meias palavras


Não me venha falar de amor Agora, nem dos meus doces Olhos de jabuticaba madura Tão pouco me faça carícias Lânguidas e demoradas Não percebe que estou Cansada de suas firulas? Venha, num rompante, depressa E me pegue com força Coloque-me de quatro Na sala desarrumada e Foda-me sem meias palavras!

Patrícia Gomes

Imagem: Lisica Lachudra

Published in: on outubro 5, 2007 at 1:16 am  Comments (1)