O Bico e a Pena

O bico e a pena contam-lhe os dedos
E o sorriso flui nos vidros cirandados.
Delicada gramatura e vida na ponta dos lábios.
Segredos aguados no escuro e no claro
— o espírito e ferrolho nos traços.
Outrora, pincéis calados batizam tintas
nas mãos ressecadas e folhagens são
tenras cúmplices de sinceras telas
sussurrando às sombras das paredes internas.
O arame forma-lhe à história
e o gesso a própria forma olvida.
O cinza cúmplice bebe seu nome na curva e a boca.
Na borra, a dança quase pronta.
Na terra, o vôo prometido.
E a pincelada vinga
a curva da rosa e a fenda da tulipa.
O carvão jamais confessa o gozo
e o pastel traça plena a fêmea:
Olha-me de novo.

Ana Magalhães

Anúncios
Published in: on janeiro 24, 2008 at 5:04 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://meninatravessa.wordpress.com/2008/01/24/o-bico-e-a-pena/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: